Ads 468x60px

Chapter #076 - Pit Fighter


Capítulo 76 da saga Mario Verde e o jogo é hoje é um dos clássicos do Arcade, lançado em 1990 pela Atari, foi mais tarde portado para diversas outras plataformas. O game baseado em brigas de rua tinha gráficos semelhantes aos do Mortal Kombat, aonde os sprints dos personagens são de pessoas reais. A jogabilidade era meio lenta e as músicas não muito marcantes.


No game é possível escolher apenas 1 dentre os 3 personágens disponíveis, cada um com suas características próprias e golpes diferenciados, por exemplo Buzz tem seus golpes a base de agarrões, Ty a base de chutes, enquanto Kato utiliza mais golpes com as mãos.

A história de Pit Fighter não é muito bem explicada, mas creio eu que seria algo como ex lutadores que participam de brigas de rua em troca de dinheiro, mas isso não importa muito também. O mais interessante do jogo era que suportava 3 lutadores simultâneos, algo incomum na época. Quando foi lançado para Mega Drive fez um sucesso tremendo, porém ao ser lançado para Super Nintendo, o jogo veio com uma verdadeira diarréia, a jogabilidade e os gráficos vieram muito limitados, fazendo com que a maioria que conhece o jogo pelo Snes simplesmente odeiem o game. Mas como estamos falando da versão Arcade, ela não é tão ruim assim hehehe.


A jogabilidade de Pit Fighter, apesar de meio lenta, era um ponto alto no jogo, era possível ir em todas as direções do cenário, pra frente, pra trás, pra cima, pra baixo, enfim, em cada canto do ringue havia uma plateia, e caso você fosse jogado no povo, eles te batiam e te jogavam de volta para o ringue. Além dos golpes físicos ainda era possível atirar objetos contra seus rivais, como por exemplo barris, facas e até motos! A jogabilidade era bem simples, ou era chute, ou soco, ou pulo, os golpes especiais eram apenas a combinação de dois ou três botões.

A cada inimigo derrotado, você iria para outra fase, contra um outro lutador, cada vez mais forte, até chegar na penúltima fase aonde você tem que enfrentar dois lutadores ao mesmo tempo, e depois o lutador final pra fechar o jogo. O game em si era bem dificilzinho, não é qualquer um que chegava lá e zerava de primeira. No game também tinha um bônus aonde você enfrenta um clone do seu personagem em troca de pontos.O modo multiplayer era divertido também, você e seu amigo lutam juntos contra os inimigos. Também era possível jogar com 3 jogadores simultâneos, enfrentando mais 3 logicamente, mas daí ocupava muito espaço na tela e nem era tão divertido assim.

Alguns objetos espalhados pelas fases, ao serem destruídos liberavam uma pílula do poder, que ao pegá-la deixava seu personagem incrivelmente fodão por um curto período de tempo, o grande problema mesmo é quando o seu inimigo pegava a pílula do poder antes de você, dava pra perder a luta rapidinho.


A parte gráfica de Pit Fighter era revolucionária para a época, com atores digitalizados, algo que foi copiado mais tarde pela série Mortal Kombat, os personágens eram bem grandes na tela, deixando os gráficos ainda mais bonitos e realísticos. Infelizmente isso também foi cagado na versão de Super Nintendo, aonde os lutadores eram pequenos e os gráficos mais toscos.

Os efeitos sonoros do jogo não eram muito bonitos, mas até que razoáveis, as músicas então nem se fala, nem me lembro direito delas, e do que me lembro não era nada tão marcante assim, mas também não eram ruins, apenas simples e de acordo com o tema.

Dizem que o game foi baseado no filme O Grande Dragão Branco, o que não é de se descartar, já que os personagens são bem parecidos com os atores do filme.


Mas vamos ao que interessa, o gameplay do jogo:


E é isso aí pessoal, esse foi capítulo de número 76 da saga Mario Verde, falamos sobre Pit Fighter de Arcade! Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Confira outros Games Clássicos que você poderá gostar também!